DESÂNIMO DE TANTAS PROMESSAS

Ouvi dizer que quando a gente não se apega tudo é tão mais fácil. Depois de tudo o que eu já passei nessa vida, por causa dos problemas com o coração metafórico, eu começo a querer poder ser assim, desapegada. O problema consiste muito no CONFIAR, principalmente. Em acreditar que a outra pessoa pensa e sente como você, e em nunca esperar o pior de ninguém.

Chega uma hora na vida que a gente aprende que ninguém é bom com você sem esperar nada em troca. E, mesmo quando está tudo bem, a cabeça da pessoa pode virar totalmente sem que você se quer desconfie e, quem estava do seu lado pode já estar do lado de lá. As pessoas são assim. E eu fui aprendendo isso pouco a pouco, muito na base das porradas que eu já levei. Eu confiava demais nas pessoas ao meu redor. Hoje desconfio um pouco, mas ainda me decepciono muito com pessoas que parecem ser o que não são. Às vezes elas sabem disfarçar muito bem.

Comitê Paulo Célio

Resolvi colocar essa fotinha no post. Porque, apesar de não ter muito a ver com o texto, eu estou tão gracinha. Então imaginem que é com essa carinha que eu estou dizendo tudo isso. Que tal?

E é tão difícil, quando estamos apegados demais a alguém, conseguir aceitar e enxergar quem aquela pessoa realmente é. Se ela te faz mal, você só quer acreditar que faz bem. É como se um véu cobrisse o seus olhos e você não conseguisse enxergar direito. Onde houvesse um olhar de desprezo, por exemplo, você poderia muito bem enxergar um sorriso. É uma peça que os seus sentimentos te pregam! É sempre assim mesmo…

Eu só quero ser eu mesma, o que às vezes também parece muito difícil. Quero viver a minha vida tranquila, sem prejudicar ninguém e sem que ninguém queira me prejudicar ninguém. Nunca quis nada que fosse de outra pessoa, interferir na vida de ninguém. O pior é que já estão todos tão obcecados em um querer sabotar o outro, que não acreditam que alguém no mundo possa ser assim, quietinha na dela. Enxergam-me como um deles. E eu sei que eu não sou. Então, só queria que me deixassem em paz.

Eu sou só uma pessoa, que sofre, ama e chora. E que acredita um dia na vida poder ser feliz…

(PS: e gostaria muito que ele gostasse de mim do jeito que eu gosto dele…)

Anúncios

Sobre Camila B Hassen

Comunista, socióloga, antropóloga e jornalista. Ateísta por convicção e Atleticana por paixão.
Esse post foi publicado em Como EU vejo o mundo. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s